Boi que se afogou no mar de Stella Maris era avaliado em R$ 12 mil

O boi que fugiu do Parque de Exposições de Salvador e morreu afogado no mar de Stella Maris, na quinta-feira (29), era avaliado em aproximadamente R$ 12 mil. O animal se afogou na praia depois de passar cinco dias desaparecido. Ele veio transportado de uma fazenda em Teodoro Sampaio, no Centro-Norte do estado, para participar da 31ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro 2018).

De acordo com a assessoria do evento, se fosse para abate, o animal custaria entre R$ 3 e R$ 4 mil. No entanto, como o boi iria a leilão, poderia ser arrematado por até quatro vezes mais do que esse valor.

O animal, de três anos de idade, não tinha nome. Quando estava sendo descarregado, no sábado (24), o animal fugiu e entrou no areal atrás da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA). Equipes do evento tentaram resgatá-lo, mas não conseguiram. A assessoria da Fenagro confirmou que os profissionais continuaram tentando localizar o animal. O criador Paulo Machado, dono do bovino, preferiu não dar entrevista.

O boi chegou a ser avistado na quarta-feira, perto do Aeroporto de Salvador, mas não conseguiram resgatá-lo. “Na quarta à noite, o boi voltou a ser visto na área de descarga do Aeroporto, sendo reiniciada a captura na manhã de quinta-feira (29) por cavaleiros de apoio da feira e cavalaria montada da Policia Militar. Na fuga, porém, para surpresa da equipe, o animal, assustado, pegou a direção da praia e entrou no mar, saindo do domínio da equipe, mas veio a falecer por afogamento”, explica nota divulgada pela assessoria do evento.

Relembre o caso 
O boi da raça Nelore mergulhou no mar por volta das 11h, na quinta-feira, na altura da Barraca Doce Vida. Segundo o chefe de setor de salvamento da Salvamar, Januário Brito, que estava entre os profissionais que tentou resgatá-lo, o animal entrou na água “de forma inesperada”, segundo testemunhas. O Salvamar foi acionado por um salva-vidas que atua na área.

Pelo menos quatro salva-vidas entraram na água para tentar evitar o afogamento do animal, enquanto outros três, da areia, orientavam os colegas, devido à forte correnteza. Com pranchas, bóias e uma corda, os salva-vidas enfrentaram duas horas de remada no mar – de 11h30 até pouco mais de 13h30.

“Fizemos um cerco para ver se a gente conseguia levá-lo para a costa, mas ele estava muito assustado, estressado. Estava muito bravo, mesmo dentro da água”, contou.

Inicialmente, o boi não estava muito longe da costa – a distância máxima que chegou foi 500 metros da areia. Mesmo assim, a tentativa de resgate foi difícil. De acordo com o chefe de setor de salvamento, o animal seguia nadando em direção ao oceano, muito assustado.

Com tanta movimentação, dentro do mar, eles acabaram se deslocando quase um quilômetro de distância do ponto inicial. Cerca de 40 pessoas acompanharam a tentativa de resgate da areia, mas o boi não resistiu. O animal acabou engolindo muita água e morreu antes que os salva-vidas conseguissem retirá-lo do mar.

Entrou e saiu três vezes
Na verdade, antes mesmo da chegada dos salva-vidas, um grupo de surfistas já tentava resgatar o boi. O fotógrafo aquático de surf Douglas Pedrosa, 24 anos, foi um dos primeiros a avistar o animal na água. Ele estava com um grupo de amigos, prestes a fazer uma sessão de fotos aquáticas, quando uma das jovens apontou para o bicho.

Douglas também achou que fosse mentira; pensou que a amiga estivesse brincando – até que finalmente o viu. Eles tentaram fazer com que o boi voltasse para a areia, mas o animal já estava nervoso. Parecia atordoado. Sempre que os surfistas tentavam atraí-lo para a costa, ele avançava em cima do grupo.

“A gente conseguiu trazê-lo para a areia três vezes, mas ele voltava. Parecia que queria cometer um suicídio”, explica o fotógrafo, que ainda conseguiu clicar o animal.

Pouco depois os salva-vidas chegaram, dando início à fase seguinte de tentativa de resgate. Só que o boi continuava se movimentando, chegando a se deslocar de uma ponta a outra no mar. Um grupo de cavaleiros, vindos do Parque de Exposições, chegou a trazer uma corda, mas nada adiantou.

“Quando chegou no pico, ele perdeu as forças. Vimos que ele não conseguia mais e apagou na água. Foi quando o pessoal conseguiu pegar ele e trazer para a areia, mas já estava desfalecido”, conta.

Um veterinário teria tentado reanimar o boi, após ele chegar à areia, mas não houve sucesso. Após a confirmação da morte, o animal foi cortado ainda na areia e a carne levada por populares.

Comente com Facebook