De Herói a vilão: OAB entra com representação contra policial militar por abuso de poder

Os fãs de histórias em quadrinhos sabem a tênue linha entre o herói e o vilão. Não é de hoje que o cinema retrata heróis sendo aplaudidos em um dia e no outro sendo execrados.
Isso sempre acontece na telinha quando o super-herói passa da conta, erra na dose e acaba provocando o caos.Imitando a ficção, um policial militar de Porto Seguro provou neste ano de 2018, os dois lados e foi de herói a vilão.

A Ordem dos Advogados do Brasil, OAB, subseção de Porto Seguro, entrou com representação contra os policiais militares que prenderam o advogado, Tony de Oliveira Matos, no último dia 25.

No último domingo (25), por volta das 5 da manhã, o advogado foi abordado pelos policiais militares Silvado Dias da Silva e Mateus Socorro Santos, na porta da lanchonete Medinão, na avenida dos Navegantes.

Segundo relatos do advogado, os policiais chegaram com truculência ao efetuarem a abordagem e vídeos que circulam pela internet, mostram Tony sendo colocado no camburão para ser conduzido a delegacia e dezenas de populares que estavam no local, revoltados com a ação policial.

Um dos vídeos mostra, que durante o tumulto, o policial Silvaldo, chegou a discutir com uma mulher e a agredir um homem que estava sentado em uma das mesas da lanchonete.

Ainda segundo informações, o delegado de plantão, entendeu que houve excessos dos PMs e tão logo o advogado chegou na delegacia, foi liberado. Não sendo lavrado o boletim de ocorrência.

De Herói a Vilão

O policial Silvaldo, conhecido como soldado Dias, já havia ganhado as manchetes dos jornais, ao realizar um parto dentro de um carro no centro de Porto Seguro, no último dia 29 de agosto. Na época, o policial foi tido como herói ao trazer ao mundo, o pequeno Heitor.

Ao ser perguntado sobre a sensação, Dias respondeu que era gratificante terminar um turno de 12 horas daquela maneira. Coincidência ou não, o horário do parto e a desastrosa ação, ocorreram no mesmo horário, as 5 da manhã, no final do turno do soldado Dias.

Se seguir em frente a representação, os policiais militares receberam processo administrativo, podendo até ser expulsos da corporação.

Comente com Facebook