Em dois dias, atletas quebram nove recordes no JUBs Atletismo em Fortaleza

Competição aconteceu nos dias 13 e 14 de setembro.

Os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) de atletismo 2019 foram marcados pela emoção e superação. Em dois dias, a Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) e a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) registraram nove recordes na competição.

A primeira quebra de tempo veio com Anderson Freitas, da SOGIPA-RS, na prova dos 400m. O velocista terminou a prova em 46”31, 0″06 acima do antigo recorde de Kaio Vinicius da IFSP-SP.

No revezamento 4×100 feminino, as atletas da Celso Lisboa-RJ quebraram o recorde que era do Centro Universitário Augusto Motta-RJ desde 2006. Mariana da Costa, Gabriela Silva, Bianca Cristina e Maria Vitória entraram para a história da competição com o tempo de 45”68, 0”58 a menos que a última marca.

E os atletas da Celso Lisboa-RJ não pararam por aí: não satisfeitas com uma medalha, Maria Vitória e Gabriela Silva também garantiram mais um ouro e um recorde para cada – a primeira no salto triplo com 13.02 e a segunda nos 200m com o tempo de 23.68.

Maria Vitória, que também conquistou o título sul-americano sub-20 em junho na Colômbia, conta da sensação de conquistar mais uma medalha.

“Valeu muito a pena [todo o esforço] porque no Rio de Janeiro estamos passando muita dificuldade em relação a lugar pra treinar, temos que nos virar. Mas estou muito feliz com o resultado, por tudo que aconteceu esse ano, pelo Sul Americano, pelo recorde e por poder estar competindo mais uma vez no JUBs. Agora é pensar na temporada 2020, ano que vem tem o Sul Americano Sub-23, então é treinar pra ficar entre as primeiras do ranking.”

A UNIP-SP também teve três recordes para a conta: Marlene Ewellyn nos 400m com barreiras, July Ferreira nos 800m e Wellington Silva no arremesso de peso.

Pela UPIS-DF, Matheus Américo, além de conquistar o tricampeonato na prova, quebrou seu próprio recorde nos 800m e de 1’48”65 diminuiu seu tempo para 1’48”52.

Wellington, Matheus e Marlene também representaram o Brasil na Universíade de Verão, segundo maior evento poliesportivo do mundo que aconteceu em julho na Itália.

Por fim, José Fernando Ferreira da UniNassau-PE começou bem a sequência de provas e confirmou seu favoritismo no decatlo. O recorde era de Luiz Alberto Cardoso, da UNIP-SP, com a marca de 7291. O pernambucano agora é o recordista da prova com a marca de 7340.

Confira os resultados completos no boletim informativo.

Comente com Facebook