Jornalista acusa motorista de uber de assédio “só abriu a porta quando prometi não contar”

Uma jornalista baiana foi vítima de assédio durante uma viagem de Uber, neste domingo (3), em Salvador. Segundo a mulher, o motorista fez insinuações e falou da aparência dela durante todo o percurso e ao final da viagem só destrancou as portas do veículo depois que ela prometeu que não relataria nada do que houve ao aplicativo.

A vítima, que preferiu não ser identificada, procurou a empresa para denunciar o acontecido e recebeu uma ligação de uma funcionária que garantiu que o fato seria investigado e que a companhia tomaria as medidas cabíveis. A empresa ainda se colocou à disposição para fornecer dados do motorista caso a mulher quisesse fazer uma denúncia formal.  

A jornalista utilizou as redes sociais para compartilhar a situação e se surpreendeu com as respostas de muitas mulheres que, a partir da publicação dela, também relataram casos de assédio durante viagens pedidas através do aplicativo, mas que muitas vezes não chegam a denunciar para a empresa por medo ou vergonha da situação. 

Comente com Facebook