Mulher desiste de fazer doação de R$30 mil a criança com câncer “É filha de lésbicas”

“Minhas orações estão com a Callie. Eu ia doar US$ 7,6 mil (cerca de R$ 30 mil) para ela, mas descobri que ela é filha de lésbicas. Eu escolhi fazer uma doação para St. Jude (hospital infantil) devido a esse fato. Desculpe, ainda vou rezar por ela, mas talvez seja a maneira de Deus de chamar sua atenção que ela precisa de uma mamãe e um papai, não duas mamães”, escreveu Bren Marie para as mães da criança em uma rede social.

Diagnosticada com câncer há cinco meses, uma menina de quase 2 anos teve uma ajuda negada por ser filha de mães lésbicas. O caso aconteceu em Ohio, nos Estados Unidos.

As mães da criança, Tiffany e Albree Shaffer, abriram uma vaquinha online e encontraram uma mulher identificada como Bren Marie que estava disposta a doar cerca de R$ 30 mil para o tratamento da garota, que se chama Callie. Porém, ao descobrir que a criança era filha de um casal gay, desistiu.

Tiffany e Albree relataram ter ficado “chocadas e enojadas” com a situação. “Tentamos não ficar chateadas, mas foi difícil. Eu não podia acreditar que ela nos procurou para nos dizer isso diretamente. Ela poderia simplesmente não ter doado e ignorado a página”,disse Albree, que largou seus três empregos para se dedicar à filha. A outra mãe, Tiffany, trabalha para sustentar a casa e cuida de seu outro filho, Tyler, de 7 anos, que tem transtorno do espectro autista.

Callie foi diagnosticada com câncer em dezembro de 2018. Ela tem um quadro de neuroblastoma avançado, um tipo de câncer que ataca glândulas acima dos rins. A doença está no estágio quatro e a paciente precisa de pelo menos 18 meses de quimioterapia e radiação. O custo para esse tipo de tratamento

Comente com Facebook