Noivos que se casariam nesta semana morrem após cair de parapente

Vitória Carolina Gonçalves, de 21 anos, e Marley de Sousa Rego, de 35, morreram após a queda do paramotor que era pilotado por ele em Caldas Novas — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O casal que morreu após cair de paramotor em Caldas Novas, região sul de Goiás, foi identificado como Vitória Carolina Gonçalves, de 21 anos, e Marley de Sousa Rego, de 35. Os dois eram noivos e se casariam na manhã desta quarta-feira (14) em um cartório da cidade. Os corpos deles foram encontrados também nesta manhã em uma mata às margens da GO-309.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o casal decolou da cidade na tarde de terça-feira (13), rumo a uma fazenda em Pires do Rio. O casal chegou a se reunir com amigos para comemorar o casamento.

Informações passadas à polícia dão conta que cerca de 30 minutos depois da decolagem, o casal perdeu o contato que fazia com os amigos. As buscas pelos dois começaram ainda durante a noite.

A corporação foi acionada, mas quando chegou ao local encontrou o casal já sem vida.

Destroços do paramotor ficaram espalhados pelo local. As causas do acidente vão ser investigadas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Mas segundo o Corpo de Bombeiros, um dos equipamentos de proteção pode ter se desprendido.

Familiares disseram que Marley havia feito um curso de instrução há pouco mais de seis meses e que essa seria a segunda vez que o casal sobrevoava junto. Eles viajariam nesta quarta para São Paulo, onde passariam a lua de mel.

Segundo a Associação Brasileira de Paramotor, os pilotos de paratrike, modelo o qual os dois voavam, precisam fazer um curso de 40 horas em escolas autorizadas. São essas instituições que emitem o certificado de habilitação. Os pilotos também precisam fazer uma prova sobre o espaço aéreo na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Em nota, a Associação Goiana de Paramotor lamentou a morte do casal e disse que o acidente passará por investigação para dizer o que realmente aconteceu.

A nota fala ainda que tanto o “parapente quanto o paramotor são esportes extremamente seguros se praticados da forma correta”.

Fonte: G1

Comente com Facebook