Polícia descobre que funcionário de IML manteve relação sexual com cadáver de ex-Big Brother

A polícia comprovou através de exames de DNA que o funcionário do necrotério identificado como Alexander, de 37 anos, casado, manteve relações sexuais com o cadáver da ex Big Brother da Rússia, Oksana Aplekaeva.

Segundo matéria publicada no jorna “Daily Mail”, Oksana que participou de um Realite Show nos mesmos padrões do Big Brother brasileiro, foi assassinada em 2008 e seu corpo foi encontrado ás margens de uma rodovia por um caminhoneiro.

O fato só foi descoberto depois que a polícia recebeu uma denúncia anônima. O corpo de Oksana foi exumado e testes de laboratório comprovaram a existência de material genético do necrófilo no corpo da ex BB. Alexander que continuava trabalhando normalmente, não foi indiciado pela polícia já que no país não existem leis que punem crimes como esse.

Depois da noticia, Alexander foi abandonado pela mulher e a polícia não informou se o necrófilo tenha tido relações com outros cadáveres, ou que tenha tido relação com o assassinato da ex Big Brother.

Comente com Facebook